quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Lusíadas - no Texas

HARRY RAMSOM CENTER - UNIVERSITY OF TEXAS AT AUSTIN
Imagem  reproduzida do Público. O artigo - reportagem, de Cláudia Silva,  ocupa-se de um ex. da primeira edição de Os Lusíadas - propriedade de um centro de I. da Universidade do Texas, em Austin - adquirido em 1970, por [...] - que talvez tenha sido do próprio Camões - e de vários outros assuntos relacionados, como, por exemplo, a questão (ou «Mito»), «trissecular», de ter havido uma ou duas «primeiras edições». Teria pertencido ao próprio  poeta, «que o teria consigo quando Frei Joseph [Índio] o terá assistido no leito de morte» [...] «padre do Sul da Índia, convertido ao cristianismo [...] 30 anos mais velho[...] autor de comentários inseridos nas margens» [...] uma das razões que torna ainda mais precioso o ex.

Recorte, do início do artigo:
«Ler e examinar um dos raros exemplares sobreviventes da primeira edição de Os Lusíadas – poema épico de Luís de Camões (1524?-1580) –, impressa em 1572, é uma cerimónia quase religiosa, como se tivéssemos ido parar a uma cena do filme O Nome da Rosa . [...]»
LER o artigo completo: AQUI

[é referida a existência de 34 exemplares - «espalhados» por sete países e a «provável posse de alguns outros, «em mãos de particulares», em Portugal; 
S. lembra-se da vinda a Portugal de K. David Jackson, em 2003, que os «mapeou», estudou e editou em CD-ROM  - S. pensa não estar a «inventar memórias», quando relembra que o tal investigador [...]    

sábado, 28 de setembro de 2013

Autopsicografias (Ramos Rosa)

Dactiloscrito de um poema do ciclo Não sei de onde vem o vento, do livro Três, de 1995.

Na parte de baixo da folha, vê-se que o poeta ensaiou várias alternativas até transformar «o sol quase se quebra nas vértebras do corpo» em
«o sol, vertiginosamente, os poros incendeia», solução que transitou para a versão publicada. 
[incluído numa pequena seleção de papéis do Espólio - na BN - , reproduzidos no  Público ]                

AQUI






 

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Natália - «A Outra que era Eu»

[faria 90 anos]

«A Outra que era Eu» -
Foto de Pedro Cunha, reproduzida do Público, 13 - 09 - 2013, p. 49
 

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Auopsicografias - Campos - Sentir Pensando, Tocando-se

Fotografia de Dato Daraselia 
Gonçalo divide o quarto com a irmã de 11 anos. A fronteira é traçada por um biombo. Do seu lado, abundam os livros
[...]Na parede, por cima da escrivaninha, há um verso de Álvaro de Campos: "Sentir tudo de todas as maneiras." Ele identifica-se com esse poema, que prossegue assim: "Quanto mais personalidade eu tiver, /Quanto mais intensamente, estridentemente as tiver, /Quanto mais simultaneamente sentir com todas elas, /Quanto mais unificadamente diverso, dispersadamente atento, /Estiver, sentir, viver, for, /Mais possuirei a existência total do universo, /Mais completo serei pelo espaço inteiro fora."
[...] Há muitos livros nesta metade de quarto - a fronteira com a metade destinada à irmã marca-se com um biombo, ao qual tantas vezes se encosta, de livro na mão. Lia apenas literatura juvenil antes de entrar na academia. Foi por influência de professores e colegas que começou a ler literatura sem mais. E não vale procurar uma unidade nos títulos sobrepostos que não a que Gonçalo resume numa frase: "Gosto de livros que me fazem pensar tocando-me."
[...]
Ana Cristina Pereira, Público, 16 - 08 - 2013, pp. 12, 13 - AQUI

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Retrato de Urbano

Na Estante - compacta - alguns dos Títulos que se reconhecem são de:

José Régio
Henri Michaux

[...]

Fotografia de Daniel Rocha, Público, 10 - 08 - 2013, p. 4

[«Memória de Urbano», Artigo de Nuno Júdice - AQUI]

domingo, 11 de agosto de 2013

Mesa em que escrevia Aquilino Ribeiro, Foto de Paulo Pimenta, Público,
11 - O8 - 2012, p- 33

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

BULA

O número de 
Agosto da «Bula - Comprimidos Literários», no «Correio do PorTO»

esteve a cargo» de Rui Manuel Amaral

A CONSTRUÇÃO do FOLHETO -                
AQUI

sábado, 27 de julho de 2013

Eça - A Relíquia


«Ouvir o silêncio a Ler» - Janeiro de 2013 - Palácio 1213 - Mais, aqui

Sá da Costa

Fotografia de Sofia Vaz, da página EL do jornal I - AQUI
- S.confessa que, como Livraria, a S. da C. nunca o «atraiu» muito, porque [...]
 - há décadas, desde Menino e Liceal (P. M.) que, quando na Zona, aí entrava e saía, nunca gostando muito do que via ou «cheirava» [...] 

- numa das últimas «intervenções», durante a colocação à vista da estrutura mais funda da montra lateral, [...]         [perguntem ao próprio]

 - Ainda assim, merecia outra sorte [...]

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Óbidos - Vila Literária

Uma LIvraria numa (antiga) Igreja ( a de Santiago) - Artigo, de Vitor Belanciano - AQUI,  e Vídeo , de Vítor Hugo Costa,  com depoimento de José Pinho, no jornal Público:AQUI
 

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Divina Comédia

do Público de dia 7, por Isabel Lucas:
Num velho Armazém de uma antiga Editora vai nascer uma nova
- «Lisboa. É uma palavra quase sempre presente no discurso do editor. Lisboa. Gosta tanto de livros quanto da cidade onde nasceu e vive e para o centro da qual agora se vê regressar» -
AQUI - «Janelas verdes para o centro de Lisboa»

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

504

504 - Quadrado  de Porta (sempre) aberta - só T. «foge da Objectiva como o Diabo da Cruz»

 
Mais: AQUI